DestaqueGoiâniaGoiásImprensaNotícias

Alterações do Sono comuns em Idosos

No Brasil há cerca de 30 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, o que representa cerca de 10% da população brasileira, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o grupo etário que mais cresce, devido principalmente aos avanços da medicina moderna, que permitem melhores condições de saúde à população com idade mais avançada.

Os idosos são o grupo que apresentam doenças do sono com maior frequência. Com o envelhecimento ocorre diminuição da quantidade de horas de sono noturno, com necessidade de cochilos diurnos. Embora a privação de sono seja menos comum na faixa etária mais avançada, a insônia e as doenças respiratórias do sono são muito prevalentes.

A maioria dos indivíduos saudáveis com mais de 65 anos apresenta mais despertares ao longo da noite e tende a permanecer mais tempo acordado na cama. Outra alteração também comum nos idosos é o “Avanço de Fase do Sono”, que é o ato de deitar e acordar mais cedo, levando a permanecer acordado por mais horas após ter despertado. Muitas destas alterações naturais do sono no idoso podem ser observadas no exame de polissonografia.

Os distúrbios do sono são frequentes nos idosos, tais como os problemas respiratórios, os movimentos periódicos de membros, o transtorno comportamental do sono REM, entre outros como a insônia. Estes dois últimos ocorrem respectivamente e mais frequentemente em pacientes com Doença de Parkinson e Demência de Alzheimer.

Já a Apneia do Sono, que consiste em paradas respiratórias durante o sono, aumenta com a idade, por se tratar de uma condição progressiva e devido a fatores do próprio envelhecimento, como: a flacidez da musculatura da garganta, a diminuição da função da tireoide, o aumento de peso e a queda no controle da respiração. O exame de polissonografia indicará o índice de gravidade da apneia.

Além disso, a frequência dos movimentos periódicos dos membros no decorrer da noite, também aumenta progressivamente com a idade. Vários fatores e doenças associadas são responsáveis por esse aumento de movimentos que fragmenta o sono. Neste caso se tem um sono de má qualidade, não reparador, aumentando a sonolência diurna, da mesma forma que ocorre na apneia.

A Doença de Alzheimer que acomete cerca de 20% da população com mais de 70 anos de idade, tem como uma das características alterações do sono. Os portadores da doença apresentam, com frequência, despertares noturnos, confusão mental e alucinações ao anoitecer.

A Doença de Parkinson é uma doença degenerativa progressiva que acomete principalmente idosos com mais de 60 anos. Também é comum apresentar alterações do sono, como a dificuldade de iniciar e manter o sono, presença de sonilóquio (falar dormindo), dificuldade de se mover e sair da cama, e movimentos aumentados de membros (ocorre em 1/3 dos indivíduos com essa doença). O distúrbio comportamental do sono REM consiste em alterações motoras, geralmente, agressivas, que ocorre durante a fase do sono REM, onde o individuo vivencia os sonhos no corpo e pode aparecer anos antes da manifestação da D. de Parkinson.

Outro distúrbio do sono muito comum é a insônia, que está presente em 19 a 38% dos indivíduos maiores de 60 anos. A insônia nesta faixa etária geralmente está associada a outros fatores como doenças neurológicas e cardiorrespiratórias. Uma das causas de despertares mais frequentes entre os idosos é o despertar para urinar (noctúria), que pode ser um dos sintomas noturnos da Apneia do Sono. A dor crônica também é um fator causador importante de insônia. Além disso, é imprescindível levar em conta fatores ambientais e psicológicos que contribuem para o aumento da incidência da insônia nesta fase da vida.

Nos seres humanos, o sono inicia seu processo contínuo de mudanças a partir do nascimento, permanecendo por toda a vida em constante evolução. Por isso, deve-se ficar alerta para as alterações do padrão de sono que não sejam naturais ao processo de envelhecimento.

 

Sobre o Instituto de Especialidades e Sono – IES

Com 16 anos de tradição e excelência, o Instituto de Especialidades e Sono (IES), é referência no diagnóstico e tratamento das Doenças do Sono. A clínica possui equipe multidisciplinar, com larga experiência na área e modernos equipamentos além de uma estrutura ampla, com suítes climatizadas e cama box de casal para proporcionar maior conforto durante a noite de sono, na avaliação dos diversos Distúrbios do Sono.

O IES está localizado no Setor Bueno, região nobre de Goiânia proporcionando comodidade, conforto e segurança.

 

Exames:

  • Eletroencefalograma
  • Polissonografia Basal
  • Polissonografia Domiciliar
  • Polissonografia com CPAP/BIPAP
  • Testes das Latências Múltiplas do Sono

 

Atendemos:

  • Particular
  • UNIMED
  • IPASGO
  • GEAP
  • AMIL

 

Instituto de Especialidades e Sono – IES

Contato: (62) 3252-1500 / 3253-1919

Whatsapp: (62) 98129-9595

E-mail: [email protected]

Endereço: Rua T 55, N° 869, St. Bueno, Goiânia, Goiás.  Cep: 74215-170

Avalie esta postagem
Etiquetas
Mostrar mais

IES - Instituto de Especialidades e Sono

Com 16 anos de tradição e excelência, o Instituto de Especialidades e Sono (IES), é referência no diagnóstico e tratamento das Doenças do Sono. A clínica possui equipe multidisciplinar, com larga experiência na área e modernos equipamentos além de uma estrutura ampla, com suítes climatizadas e cama box de casal para proporcionar maior conforto durante a noite de sono, na avaliação dos diversos Distúrbios do Sono. O IES está localizado no Setor Bueno, região nobre de Goiânia proporcionando comodidade, conforto e segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo